Distribuidor de cosméticos, qual a cor do seu carro?

Com certeza, cada um tem o carro e a cor do carro que desejar… mas se os produtos cosméticos para a entrega ficarem no interior do carro por longas horas, o vendedor precisará tomar alguns cuidados redobrados ao realizar as entregas com o seu carro, pois os produtos cosméticos exigem um processo de armazenagem e transporte específico, pois são produtos sensíveis à ação da temperatura e incidência de raios solares, sendo assim o transporte dos produtos é uma etapa crucial, pois é responsável por garantir que o produto chegue até o cabeleireiro na condição ideal de utilização, sem alteração na sua performance, sem alteração nas suas propriedades reológicas e tendo o efeito proposto pelo fabricante.

No caso de armazenamento em local apropriado, a recomendação é de até 39°C pois esse é o limite de segurança para manter as propriedades físico-químicas dos produtos em estabilidade e com a sua maior eficiência. Mas em situações da logística, sabemos que essa temperatura não é possível em muitos casos, e a ANVISA recomenda que os produtos cosméticos sejam transportados e armazenados em ambientes com a temperatura controlada e não fiquem expostos ao sol.

Em uma situação cotidiana, se você deixar o seu carro estacionado e exposto ao sol intenso por 2 horas, a temperatura interna do carro aumentará de 20 a 35°C e dependendo da cor do seu carro, a variação dessa temperatura será de até 15°C, pois a cor branca reflete 80% da luz solar visível e a preta, apenas 5%. As áreas envidraçadas podem ainda causar distorções grandes no resultado pelo efeito estufa, assim como os materiais do interior (couro esquenta muito mais que tecido, assim como revestimentos escuros esquentam mais que os claros) e as posições dos veículos em relação ao sol.

Em um dia com a temperatura de 31°C e após 2 horas de exposição ao sol, tivemos resultados surpreendentes com 2 carros similares mas de cores e acabamentos diferentes.

Veículo A: Preto com couro e painel preto: Temperatura interna 65°C.

Veículo B: Branco com bancos de tecido e painel cinza claro: Temperatura interna de 53°C.

No caso do Veículo B , a temperatura no interior do carro de 53°C já está acima do recomendável e se ficar por mais algumas horas nessas condições, os produtos perderão algumas propriedades físicas, principalmente com a diminuição da sua viscosidade.

O caso mais crítico, o Veículo A, de cor preta, exposto ao sol e com uma temperatura interna de 65°C por 2 horas, terá a performance e a integridade do produto comprometidas e ainda sofrerá alterações físico-químicos e organolépticas ocasionando mudanças nas atividades de componentes, viscosidade, aspecto, textura, cor e odor do produto.

Um detalhe que não pode passar despercebido é que além da alta temperatura, um fator agravante é a excessiva vibração durante o transporte que aliado à alta temperatura, poderá afetar a estabilidade das formulações, acarretando na separação das fases de emulsões, compactação de suspensões, alteração na sua densidade, relativa, alteração da viscosidade dentre outros fatores.

Assim, para a entrega dos produtos em veículos que não sejam apropriados, recomendamos que:

Utilizem veículos de preferência com cores mais claras;

– Sempre estacionem em vagas cobertas para evitarem incidência direta do sol, principalmente nos horários do meio dia;

– Em lugares de calor extremo, dê preferência às entregas na parte da manhã antes das 10h ou depois das 16h para evitar as temperaturas de pico.

– Utilize veículos com películas nos vidros para amenizar um pouco o efeito estufa;

– Evite vias com excessiva irregularidade para atenuar a vibração dos seus produtos.

Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

Deixe uma resposta